Provavelmente, a melhor canção de Natal de sempre

Fairytale of New York
(the pogues)

It was Christmas Eve babe
In the drunk tank
An old man said to me, won't see another one
And then he sang a song
The Rare Old Mountain Dew
I turned my face away
And dreamed about you

Got on a lucky one
Came in eighteen to one
I've got a feeling
This year's for me and you
So happy Christmas
I love you baby
I can see a better time
When all our dreams come true

They've got cars big as bars
They've got rivers of gold
But the wind goes right through you
It's no place for the old
When you first took my hand
On a cold Christmas Eve
You promised me
Broadway was waiting for me

You were handsome
You were pretty
Queen of New York City
When the band finished playing
They howled out for more
Sinatra was swinging,
All the drunks they were singing
We kissed on a corner
Then danced through the night

The boys of the NYPD choir
Were singing "Galway Bay"
And the bells were ringing out
For Christmas day

You're a bum
You're a punk
You're an old slut on junk
Lying there almost dead on a drip in that bed
You scumbag, you maggot
You cheap lousy faggot
Happy Christmas your arse
I pray God it's our last

I could have been someone
Well so could anyone
You took my dreams from me
When I first found you
I kept them with me babe
I put them with my own
Can't make it all alone
I've built my dreams around you

Eis ou Heis, eis a questão

Eis que o mistério, antes adensado, se desvanece:

eis adv.

de heis ou Lat. ecce

adv.,
aqui está;

aqui estão.

A gralha fica onde está, para referência futura

Confirma-se

As quartas-feiras são a minha Némesis... hoje, depois de uma noite mal-passada, acordei enjoado, mal-disposto. Apenas umas horitas depois, pimba! Soltura!
Dass!

Mas o que eu detesto mesmo

É ter de acordar cedo.
Decididamente não funciono de todo durante a manhã.

Odeio as quartas-feiras

Raramente correm bem, na melhor das hipóteses são neutras...
Já me deitei hoje - depois da meia noite - e passei a noite a sonhar que não precisava de acordar a horas insanas da madrugada porque amanhã era sábado... pois, desejos.
Acabou por começar ao sopetão - o camandro do telemóvel-despertador resolveu apenas vibrar e não tocar; pimba! Acordar em sobressalto, bater com um dedo na porta e escorregar no tapete da casa de banho, verificar que ficou uma luz da sala acesa a noite toda (ao menos é uma lâmpada económica) e não me lembrar quando a liguei - em algum tempo durante a noite? Não me dava jeito ter sonambulismo agora... Depois foi comer qualquer coisa depressa e ficar com soluços.
Ao menos a viagem para o trabalho foi calma e sem eventos dignos de nota.
Depois aqui no trabalho as coisas hoje estão irritantes, o material a falhar quando não devia, o servidor de mail do ISP em baixo, mais software a falhar quando seria suposto ser a correcção da falha anterior... e aind não é meio-dia.
Dass, odeio quartas-feiras.

Notas soltas

Sexta-feira. Típica. Estou com vontade de fazer um massacre a tiro e golpes de katana (a original, japonesa).


Aqui ao lado discutem-se os assuntos do mundo sob uma visão estreita, preconceituosa e fundamentada apenas nas crenças e em disparates maniqueístas diversos. O Conhecimento fica pelo caminho mas isso não importa; o mundo é mais fácil quando se vê apenas a preto e branco e se recusam as cores e os matizes, infinitos – a Redução ao simplismo é reconfortante, podemo-nos identificar com um dos lados, sendo o Outro indigno. Assim se explica a adesão às Religiões – das típicas e tradicionais teístas à Ciência e partidarismo político acéfalo. Sem esquecer os futebóis e semelhantes.

Penso que viveria melhor se não desprezasse tanto as mentes simples, ainda que possam ser génios, dos verdadeiros, de QI elevadíssimo.

A Sobrecarga de Informação deste dias em que vivemos dá nisto. Pouco acompanham, poucos seleccionam, poucos lidam bem com ela. Muitos alheiam-se, mais ainda se refugiam no falso sentido de segurança e propósito que a crendice a superstição proporcionam.


Deveríamos por os olhos na megalópoles actuais, elas mostram claramente o sentido em que a Sociedade vai evoluindo.

Alienação e o incrível paradoxo da solidão mais abjecta no meio dos maiores aglomerados populacionais de que há registo conhecido...

O desprezo pelos valores humanistas, o egoísmo, o medo paralisante, a ultraviolência.

A procura pelo Esquecimento; em todos nós vive um Fausto.


Houve um tempo em que a Religião era Lei e as Igrejas ditavam a Ordem do Mundo. Chamaram-lhe a Idade das Trevas

The frail edges of sanity

Hoje sinto-me a escorregar inexoravelmente para a Loucura.
A verdadeira, sem tino, nexo ou qualquer tipo de organização, obejctivo ou objecto.
Apenas um sem fim de estilhaços de ideias, sensações, emoções e desejos não cumpridos.
Assim, a revolver na minha mente como que animados por correntes de ar não concordantes, caóticas.
E aumentando em número e tamanho até à explosão final.

Preciso de dormir mais e melhor.

It's the end of the World as we know it!

Quem, candidamente, pensou que o fim do mundo seria um acontecimento social extremo, com fogo de artifício e animadores, assim como uma show do Cirque du Soleil, enganou-se.
A coisa vai ser lenta, agonizante e degradante.

Travelling mood

Everybody’s talkin’ at me
I don’t hear a word they’re sayin’
Only the echoes of my mind
People stopping, staring
I can’t see their faces
Only the shadows of their eyes
I’m going where the sun keeps shining
Through the pouring rain
Going where the weather suits my clothes
Backing off the north east wind
Sailing on a summer breeze
And skipping over the ocean like a stone
Everybody’s talking at me
I don’t hear a word they’re saying
Only the echoes of my mind
People stopping, staring
I can’t see their faces
Only the shadows of their eyes
I’m going where the sun keeps shining
Through the pouring rain
Going where the weather suits my clothes
Backing off the north east wind
Sailing on a summer breeze
And skipping over the ocean like a stone
No I won't let you leave my love behind
No I won't let you leave my love behind

"Everybody’s Talkin"

Os Portugueses

Mais uma análise apurada do Ethos Português. Aqui, n'O Jumento

Eu hoje acordei assim

Sobressaltado, uma vez mais "dormi a correr" - então a noite já acabou, ainda agora me deitei???

Acordei com a cabeça cheia, de muco e de pensamentos e de tudo e de nada.
A meada que me tem ocupado a mente voltou hoje a ensarilhar-se e ainda não lhe encontrei um fio para fazer um novo novelo.
Mas serão tantos - os fios e os respectivos novelos - que o trabalho se apresenta fastidioso.
Alas, há que vasculhar e começar.

Cansado também... como disse, tenho a cabeça cheia:
Estratégia pensada e afirmada, tomam-se Decisões.
É o tempo de delinear as Tácticas e empreender os Projectos, estes dependendo daquelas e aquelas adaptando-se ao desenlear destes.
Projectos em curso, projectos em preparação, projectos em planeamento... Vontades, Sonhos e Querer!
Preciso de algum alento mas disse alguém na antiguidade: "Tempus fugit"; e por isso não há tempo a perder, upa! Pernas ao caminho, em frente para a batalha, a refrega vai ser longa e dura. Hoje, amanhã e para sempre, até cair.

Pausa. O Sol vai-se. A luta continua amanhã. A contenda ainda não está resolvida mas os corpos precisam de sustento e de reparo.
Tempo de regressar... um vazio espera-me, cheio de artifícios que engendrei e merquei na Praça, num esforço genuíno de iludir o niilismo com que me preenchi.
A (falta de) Vontade de ver um novo dia esvai-se nos universos virtuais (alienantes) dos media clássicos ou 2.0... patético adormeço e a noite volta a acabar num de repente e recomeça o ciclo, sempre uma e outra vez.

Ao fim de semana fico quase sem saber o que fazer, para ali estirado, no Vazio. Niilista e cada vez mais perdido.

Weltschmerz

Acordo assim muitas vezes...

De um mood passageiro, de ontem

Sheets of empty canvas, untouched sheets of clay

Were laid spread out before me as her body once did.

All five horizons revolved around her soul

As the earth to the sun

Now the air I tasted and breathed has taken a turn

Ooh, and all I taught her was everything

Ooh, I know she gave me all that she wore

And now my bitter hands chafe beneath the clouds

Of what was everything.

Oh, the pictures have all been washed in black, tattooed everything...

I take a walk outside

I'm surrounded by some kids at play

I can feel their laughter, so why do I sear?

Oh, and twisted thoughts that spin round my head

I'm spinning, oh, I'm spinning

How quick the sun can drop away

And now my bitter hands cradle broken glass

Of what was everything?

All the pictures have all been washed in black, tattooed everything...

All the love gone bad turned my world to black

Tattooed all I see, all that I am, all I'll be... yeah...

Uh huh... uh huh... ooh...

I know someday you'll have a beautiful life,

I know you'll be a sun in somebody else's sky, but why

Why, why can't it be, why can't it be mine

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

Genial! De chorar às Lágrimas!!!

Das mulheres portuguesas

Aqui, a constatação que há muito eu procurava pôr em palavras mais ou menos semelhantes mas para as quais me faltava a arte e inspiração.
Além do mais, é um muito bom blog, que podem "picar" ali ao lado.

Crise sazonal

Sobram-me trabalho e projectos de vida em fase inicial de execução e mais ainda em diversas fases de planeamento.
Falta-me a inspiração para me indignar com alguma coisa ou achincalhar alguém (pessoa colectiva ou singular, independentemente da sua natureza jurídica), até mesmo para a simples constatação do absurdo quotidiano (delirante).
E de igual modo ando falho de inspiração para outros arremedos sejam eles de natureza onírica ou de celebração epicurista-hedonista-onanista.
Sendo agnóstico a fugir para o ateu as considerações espirituais soarão sempre hipócritas e inanes.
E mesmo assim sobra-me o Tédio.

Por outro lado

Neste país de gente maioritariamente pífia e pouco formada, qualquer merdinha que seja feita em nome de ou para as criancinhas (coitadinhas) ou os velhinhos (coitadinhos) é sempre justificada, sem que grande sentido crítico seja aplicado na sua avaliação de valor.
Isto num país onde a taxa de abandono dos nossos idosos é uma vergonha internacional e um gravíssimo problema social, um país onde a violência sobre as crianças atinge picos dignos de invasões bárbaras, sendo que esta é principalmente perpetrada pela própria família.

Mas é assim a "gente portuguesa" - invejosa, ignorante (e por isso supersticiosa e boçal).

Admirável Mundo Novo

Escapa-me o espanto e a satisfação maravilhada de uma pessoa que me veio dizer que agora já há um "programa para o computador" para se rezar o terço (ou Terço?) e que "é muito útil para as pessoas da terceira idade que já são muito esquecidas, coitadinhas"; parece que assim, com o programa não é preciso contar as rezas e ao que aprece a coisa também muda a cada dia de semana ou assim alguma coisa do género (será a dedicatória???).

Pergunto-me apenas quantas "pessoas da terceira idade" assim tão esquecidas (coitadinhas) sabem, ou estarão dispostas a saber, utilizar um computador pessoal (seja pc, mac ou outra coisa qualquer) para fazer uso do dito software.

Enfim, mas isto sou eu que sou um miserável Agnóstico a fugir para o Ateu.

Dixit

In the beginning the Universe was created. This has made a lot of people very angry and is widely regarded as a bad move.
Douglas Adams
(Autor do fabuloso "The Hitchhiker's Guide to The Galaxy")

Wishlist literária I


god is not GREAT - How Religion Poisons Everything
(ou god is not GREAT - The Case Against Religion, na edição inglesa)
de Christopher Hitchens

De Rerum Natura

Desde há algum tempo que visito este blog, que acrescentei ali ao lado.
De seu nome "De Rerum Natura" é um blog absolutamente indispensável.
Vão lá vê-lo, leiam tudo - não percam nada.

Num mundo que se encontra a resvalar perigosamente para os misticismos cada vez mais fundamentalistas - cristãos, islamitas, "new-agers" e o camandro a trinta - é absolutamente refrescante e motivante ver o Racionalismo, a Ciência e o bom senso a serem defendidos em português.

"Hats off to its authors"

Vox Populi, Vox Asinum

Voz do Povo...
Voz de Burro!
Voz de Ignaro e de Néscio!
Voz Boçal e Espúria!
Voz de Bronco!
Voz do Povo...
Voz de Cáfila demente urrando como selvagens!
Voz Estúpida e sem educação,
Voz sem Conhecimento!
Voz do Povo...
Voz Desconfiada!
Voz do Preconceito!
Voz da Ignorância!
Voz do Atrevimento!
Voz da Merda!

Hoje acordei assim

Ou talvez não, não sei...

"To be, or not to be - that is the question:
Whether 'tis nobler in the mind to suffer
The slings and arrows of outrageous fortune
Or to take arms against a sea of troubles
And by opposing end them. To die, to sleep -
No more - and by a sleep to say we end
The heartache, and the thousand natural shocks
That flesh is heir to. 'Tis a consummation
Devoutly to be wished. To die, to sleep -
To sleep - perchance to dream: ay, there's the rub,
For in that sleep of death what dreams may come
When we have shuffled off this mortal coil,
Must give us pause. There's the respect
That makes calamity of so long life.
For who would bear the whips and scorns of time,
Th' oppressor's wrong, the proud man's contumely
The pangs of despised love, the law's delay,
The insolence of office, and the spurns
That patient merit of th' unworthy takes,
When he himself might his quietus make
With a bare bodkin? Who would fardels bear,
To grunt and sweat under a weary life,
But that the dread of something after death,
The undiscovered country, from whose bourn
No traveller returns, puzzles the will,
And makes us rather bear those ills we have
Than fly to others that we know not of?
Thus conscience does make cowards of us all,
And thus the native hue of resolution
Is sicklied o'er with the pale cast of thought,
And enterprise of great pitch and moment
With this regard their currents turn awry
And lose the name of action. - Soft you now,
The fair Ophelia! - Nymph, in thy orisons
Be all my sins remembered."

Incompreensão

Juro que me escapa ao entendimento a razão porque muitas pessoas - a maioria mulheres - volta e meia esfregam as mãos vigorosamente enquanto se deslocam do ponto A para o ponto B - seja estando 40ºC à sombra ou -40ºC ao nível da relva.
Aqui no ecritório são pelo menos 4, tudo mulheres...


Aborrecimentos

Aborrecem-me epicamente a estupidez e o preconceito analfabeto e boçal. Assim como as ideias-feitas.
Encontro-os todos os dias excepto quando fico em casa ou quando estou apenas com os amigos.
Os autocarros são experiência psicossociológicas interessantes.

Aborrecem-me os fundamentalismos religiosos, doutrinários e todos os outros.
Os fundamentalistas futeboleiros são especialmente sarrazinentos, a par dos jornalistas, que na sua maioria são uns imbecis ignorantes. A maioria dos segundos escreve mal, os primeiros duvido que saibam assinar até de cruz.

Aborrece-me a trupe de putas e putos, bichas escandalosas e bichos de cobrição e os seus chulos e azeiteiros que compõem o grupo dos que são supostamente famosos, e desprezo a sua torpe pandilha de fãs que diligentemente compram toda a espécie de pasquins com os retratos (encomendados e fraudulentos) das suas vidas vazias e fúteis.
Não passam de uma vara espúria de toxicodependentes, aqueles agarrados à coca e ao viagra e seus sucedâneos, e mais às benzodiazepinas e a levar no cú e na cona em série ou em paralelo, estes agarrados às publicações em papel couché, às benzodiazepinas reais e virtuais, à televisão e mais o futebol e as novelas e caralho a trinta!

Aborrece-me a juventude padronizada, de look rebelde direitinho e politicamente correcto, agarrados às Floribellas com morangos com açucares ou adoçantes, promíscuos e lascivos, tropa fandanga de meninas e meninos levianos que o que querem é foder e beber.
“O mundo é tão giro e nós todos tão bonitos, nem sei como é possível sermos assim tipo sei lá...”

Aborrecem-me os autarcas deste país, queiram ou não queiram, são eles a base da corrupção nacional. Boçais, provincianos, parolos, quase todos, sem horizontes nem um pingo de cultura. Cegos pela ganância e toldados pela soberba, nojentos, abjectos, quase todos, independentemente da cor política.

Aborrece-me este triste país este onde a imprensa de sucesso é a imprensa futebolística com 3 diários 3, não consigo saber onde se arranja tanto que falar sobre a bola mesmo com o campeonato no defeso.
Enchem-me de asco todos os seus compradores e jornalistas semi-analfabetos. E mais os vinte e quatros horas e tais e quais. Tenho saudades do Jornal do Incrível.

Aborrecem-me os funcionários públicos e os privados e os sindicatos. E ainda me aborrecem mais o patrões, precisamos antes de empresários e não desta triste cáfila de curiosos, jeitosos e xicos-espertos, sempre a ver onde é possível passar a perna ao sistema.

Aborrece-me a justiça portuguesa lenta, balofa, obesa mórbida. Aborrecem-me os seus advogados e juízes e funcionários judiciais inoperantes, corruptos e preguiçosos – escolha uma das opções ou uma mistura em partes variáveis destas três. O país não é um país de Direito, de respeito pelas leis. É um país de providências cautelares emitidas de comarcas e juízos do raio que parta e pergunto-me a troco do quê delibera um tribunal de Bragança sobre um acontecimento em Lagos. Estamos a ser governados por um seita que nunca foi a votos e já que falo nisto porque não serem os meritíssimos eleitos pelos cidadãos?
Agora reparo que meritíssimo é muito parecido com meretriz.

Aborrece-me tanta coisa que fiquei aborrecido agora.

Boa tarde tristeza

estou triste.
estou a sentir-me cada vez mais sozinho
acredita que me deve ser das coisas que mais me custam a admitir.
sinto-me emocionalmente falhado.
mas tenho sido demasiado orgulhoso para o admitir.
damn me.
continuo na minha esquizofrenia a propósito do meu corpo, que trato como se fosse uma entidade maligna que ocupo temporariamente enquanto o meu verdadeiro se encontra sequestrado algures...
continuo a procrastinar todas as medidas e mais algumas que posso tomar relativamente a isso.
e, definitivamente, sou preguiçoso
o problema de fazer um plano dieta/exercício é a falta de "recompensa" com que vou passar a ter de viver.
com a consequente desorientação emocional e sublimação das minhas piores qualidades em detrimento das melhores
mas como estou, actualmente, também me sinto assim...
assim não é desculpa, eu sei
mas a comida tem sido o meu sexo e a minha droga
a recompensa do final do dia
a compensação da minha enorme carência afectiva.
à qual já devia estar habituado, na verdade, o pouco momento de carinho e afecto genuínos com uma mulher foram há tanto tempo que já nem sei como são.
sim tenho medo
reajo como uma mulher violentada às tentativa de toque físico, mas no meu caso é aos toques emocionais...
que digo!
também reajo mal à tentativa de toques físicos
não estou bem com o meu corpo, tenho vergonha dele
eu sei
devia fazer alguma coisa
e podia deixar de ser fútil
mas eu sou fútil
como todos os outros
é um mal de geração
e voltamos ao mesmo.
e no entanto tenho coleccionado uma razoável quantidade de sucessos, materiais sobretudo
devia sentir-me melhor
mais realizado
e até estou
mas sei que quero e posso fazer mais e melhor
mas estou sozinho e a luta começa a parecer um tanto sem significado
e começo a sentir-me tão cansado...

Suddenly I realized...

You buy furniture. You tell yourself, this is the last sofa I will ever need in my life. Buy the sofa, then for a couple years you're satisfied that no matter what goes wrong, at least you've got your sofa issue handled. Then the right set of dishes. Then the perfect bed. The drapes. The rug. Then you're trapped in your lovely nest, and the things you used to own, now they own you

Chuck
Palahniuk, Fight Club

Feeeeeeeeeeed your heeeeeeeeeeeeaaaaaaaaaaaaaaad!

One pill makes you larger
And one pill makes
you small
And the ones that mother gives you
Don't do anything at all


Go ask Alice
When she's ten feet tall


And if you go chasing rabbits
And you know you're going to fall
Tell 'em a hookah smoking caterpillar
Has given you the call


Recall Alice
When she was just small

When men on the chessboard
Get up and tell you where to go
And you've just had some kind of mushroom
And your mind is moving low

Go ask Alice
I think she'll know

When logic and proportion
Have fallen sloppy dead
And the White Knight is talking backwards
And the Red Queen's "off with her head!"

Remember what the dormouse said:
"Feed your head

Feed your head"

Posto de Escuta (Rock'n'Roll Is Not Dead)


Um dos melhores candidatos a Álbum do Ano e só ainda vamos a meio!!!
Há bastante tempo que estes senhores não lançavam nada tão excitante!!!

Personality Crisis, still...

The Part of You That No One Sees

You are unique, witty, and even a little snobby.
You're quite proud of who you are, and nothing is going to change that.
You've paved your own way in life, and you've ended up where you want to be.

Underneath it all, you feel very isolated from the rest of the world.
It's hard to find people to relate to you on every level.
The mundane interests of your friends and family often bore or depress you.

To be something to be...

Working Class Hero

by John Lennon

As soon as you're born they make you feel small
By giving you no time instead of it all
Till the pain is so big you feel nothing at all
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be

They hurt you at home and they hit you at school
They hate you if you're clever and they despise a fool
Till you're so fucking crazy you can't follow their rules
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be

When they've tortured and scared you for twenty odd years
Then they expect you to pick a career
When you can't really function you're so full of fear
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be

Keep you doped with religion and sex and TV
And you think you're so clever and class less and free
But you're still fucking peasants as far as I can see
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be

There's room at the top they are telling you still
But first you must learn how to smile as you kill
If you want to be like the folks on the hill
A working class hero is something to be
A working class hero is something to be
If you want to be a hero well just follow me
If you want to be a hero well just follow me

Koan

Um koan roubado num blog espanhol, via o "Aiki" dali da lista ao lado;

Una hija se quejaba con su padre acerca de su vida y cómo las cosas le resultaban tan difíciles. No sabía como hacer para seguir adelante y creía que se daría por vencida. Estaba cansada de luchar. Parecía que cuando solucionaba un problema, aparecía otro.

Su padre, un chef de cocina, la llevó a su lugar de trabajo. Allí llenó tres ollas con agua y las colocó sobre el fuego. Pronto el agua de las tres ollas estaba hirviendo.

En una colocó zanahorias, en otra colocó huevos y en la última colocó granos de café. Las dejó hervir sin decir palabra. La hija esperó impacientemente, preguntándose que estaría haciendo su padre. A los veinte minutos el padre apagó el fuego.

Sacó las zanahorias y las colocó en un tazón. Sacó los huevos y los colocó en otro plato. Finalmente, coló el café y lo puso en un tercer recipiente. Mirando a su hija le dijo: "Querida " ¿qué ves?"

“Zanahorias, huevos y café” fue su respuesta.

La hizo acercarse y le pidió que tocara las zanahorias, ella lo hizo y notó que estaban blandas.

¿Que significa esto, padre?

Luego le pidió que tomara un huevo y lo rompiera. Luego de sacarle la cáscara, observó el huevo duro. Luego le pidió que probara el café. Ella sonrió mientras disfrutaba de su rico aroma. Humildemente la hija preguntó.

Él le explicó que los tres elementos habían enfrentado la misma adversidad: el agua hirviendo, pero habían reaccionado en forma diferente:

* La zanahoria llegó al agua fuerte, dura, soberbia; pero después de pasar por el agua hirviendo se había puesto débil, fácil de deshacer.

* El huevo había llegado al agua frágil, su cáscara fina protegía su interior líquido; pero después de estar en agua hirviendo, su interior se había endurecido.

* Los granos de café, sin embargo eran únicos: después de estar en agua hirviendo, habían cambiado el agua.

¿Cual eres tu hija? - Le dijo. - Cuando la adversidad llama a tu puerta; ¿cómo respondes?

¿Eres una zanahoria que parece fuerte, pero cuando la adversidad y el dolor te tocan, te vuelves débil y pierdes tu fortaleza?

¿Eres un huevo, que comienza con un corazón maleable y un espíritu fluido, pero que después de una muerte, una separación, un despido, una piedra en el camino se vuelve duro y rígido? Por fuera te ves igual, pero ¿eres amargada y áspera, con un espíritu y un corazón endurecido?

¿O eres como un grano de café? El café cambia al agua hirviendo, el elemento que le causa dolor. Cuando el agua llega al punto de ebullición el café alcanza su mejor sabor

Si eres como el grano de café, cuando las cosas se ponen peor, tú reaccionas en forma positiva, sin dejarte vencer y haces que las cosas a tu alrededor mejoren, que ante la adversidad exista siempre una luz que ilumina tu camino y el de la gente que te rodea.

"POR ESO NO DEJES JAMAS DE ESPARCIR CON TU FUERZA Y ACTITUD EL "DULCE AROMA DEL CAFÉ".

Gulity Pleasure (mais um)

Quis saber quem sou
O que faço aqui
Quem me abandonou
De quem me esqueci
Perguntei por mim
Quis saber de nós
Mas o mar
Não me traz
Tua voz.
Em silêncio, amor
Em tristeza e fim
Eu te sinto, em flor
Eu te sofro, em mim
Eu te lembro, assim
Partir é morrer
Como amar
É ganhar
E perder
Tu vieste em flor
Eu te desfolhei
Tu te deste em amor
Eu nada te dei
Em teu corpo, amor
Eu adormeci
Morri nele
E ao morrer
Renasci
E depois do amor
E depois de nós
O dizer adeus
O ficarmos sós
Teu lugar a mais
Tua ausência em mim
Tua paz
Que perdi
Minha dor que aprendi
De novo vieste em flor
Te desfolhei...
E depois do amor
E depois de nós
O adeus
O ficarmos sós

I am Jack's sleep deprivation

When you have insomnia, you're never really asleep... and you're never really awake.

King of The Road says you move to slow

Ontem à noite em Vigo. Uma das minhas bandas preferidas...







Foi tudo e ainda mais alguma coisa do que eu tinha ouvido falar deles "ao vivo"
ROCK ON!
Oh, no, they say you gotta go
Go Go Godzilla

Mas a abrir, um fenómeno! Partiram tudo! São eles:
























Foi tudo o que um concerto de ROCK deve ser!!!
Adicionem aos "Favoritos". Não se vão arrepender!!!

A haver Uma é Esta

A Estupidez é a mãe de todos os crimes

Teologia

Hoje ouvi falar de Deus (esse com D grande para quem acredita) como se de um velhinho meio simpático mas já um pouco esclerosado de tratasse. Foi algo nesta linha: "O autocarros foi a pior coisa que Deus criou na Terra. Criou nada, coitadinho"...
Foi dito meio a medo, não fosse o proverbial velhinho ter uma das suas proverbiais birras e lançar-lhe uma praga ou um raio em cima, mesmo dentro do escritório... crendices.

Personality Crisis

Your Personality is Very Rare (INFP)

Your personality type is dreamy, romantic, elegant, and expressive.

Only about 5% of all people have your personality, including 6% of all women and 4% of all men
You are Introverted, Intuitive, Feeling, and Perceiving.

Remédio para saudosimos espúrios

Estás desiludido com a Democracia e sonhas com o Fascismo Português?
Tens saudades do Salazar e do seu tempo?
Achas que Salazar foi um grande Português?
Porque não lhe fazes uma visita?


Musa, procura-se. Dão-se alvíssaras!

Desinspirado e caído nas garras da Preguiça, procuro musa inspiradora para relação séria de criatividade e algo mais.
Procuro senhora entre os 18 e os 35, com excelente apresentação, feitio sui generis, apreciadora e conhecedora dos prazeres da vida e das Artes, as Belas e da outras mais mundanas e boémias. Com interesse pelos assuntos das ciências naturais, sociais e políticas.
Assunto sério.
 
As interessadas devem enviar mensagem para: bjornpal@gmail.com
 
Bjorn Pal

Tipos Escusados

Tipos Idiotas 1



Inconvenientes

Um dos grandes inconvenientes de se trabalhar com gajas num open-space com mesas abertas a toda a volta é a quase impossibilidade de ajeitar os genitais na roupa interior quando por alguma razão ficamos mais apertados ou "mal colocados"...
 
Dass.

Diálogos imperfeitos

 (com a devida vénia ao Irmão Lúcia e sem vergonha pelo plágio)
 
A:  "tenx aí uma mueda de vinte chêntimos?"
B:  "precisas?"
A:  "prechicho de 5 a dex chêntimus..."
B:  "tá bem, eu emprextu! mas são cinco ou dez centimos?"
...
A:  "vê lá não te aproveites para despachar as moedinhas de um ou dois cêntimos!!! " 
 
(Diálogo estabelecido entre duas co-workers)
 

Fevereiro

Fevereiro é um mês de merda. Começa por ser um mês rafado de dois dias ao qual ocasionalmente atribuem outro porque sim. Patético!
É uma bosta de um mês porque é o mês do Carnaval, acontecimento que por si só bastaria para dar cabo de um ano inteiro. O Carnaval é daquelas festas às quais eu tenho uma especial aversão. A outra é o Halloween mas mais pelo princípio de que não é tradicional por estas bandas e é uma importação escusada.
Mas tanto uma como outra são tenebrosas - o povo aproveita e "liberta-se" em mascaradas idiotas e, como se sabe, quando o povo se "liberta" a merda é certa. Depois "temos" de nos divertir à viva força e apreciar as mais variadas manifestações de mau gosto que incluem os desfiles e corsos carnavalescos que de repente os vilarejos e as terreolas do cú de judas resolveram encenar a bem do "progresso" e do "turismo". Como lhes falta a imaginação e lhes sobra boçalidade os autores de tais ideias peregrinas resolveram copiar o modelo brasileiro o que resulta hilariante e que foi a mais peregrina ideia de todas. As luminárias que se lembraram de encenar tais festividades não se aperceberam do facto crucial de que no Brasil é verão e está uma caloraça phudida e por cá é normal termos temperaturas pouco acima do zero para além da forte possibilidade de chuva ou nevoeiro. Resta o consolo de saber que mais de metades dos broncos participantes vai ficar de molho com gripes durante umas duas semanas - com sorte apanham pneumonia e ficam dois meses em casa. A produtividade é quem se ressente mas não faz mal que o país quer é festas e mais vale assim do que trabalhar.
Mas uma das coisas mais perturbantes do Carnaval é a quantidade absurda de homens que se sentem compelidos a vestir de mulheres!!! É impressionante, eu sou da opinião que de facto este é um país de bichas recalcadas. Até porque a maioria destes espécimenes durante o resto do ano são muito macholas e "viris", normalmente homofóbicos. É óbvio que este país precisa de tratamento psiquiátrico e psicoterapêutico.
Para piorar calha em Fevereiro o Dia de S. Valentim (que são na verdade três santos) e que por via da importação da cultura brasileira mestiçada com a cultura americana resultou numa coisa chamada dia dos namorados e para o qual não há pachorra. Por esta altura tudo nas montras de brique-à-braque são vermelhos e cor-de-rosas aos corações e peluches e o mais que se possa imaginar desde que seja "querido" e "fofinho". Um pesadelo e uma visão da antecâmara do Inferno.
Não há pachorra!

Posto de escuta (I've got them ol' blues again!)

Hellhound On My Trail

(Robert Johnson)

I got to keep moving, I got to keep moving

Blues falling down like hail, blues falling down like hail

Mmm, blues falling down like hail, blues falling down like hail

And the day keeps on remindin' me, there's a hellhound on my trail

Hellhound on my trail, hellhound on my trail

If today was Christmas eve, if today was Christmas eve

And tomorrow was Christmas day

If today was Christmas eve and tomorrow was Christmas day

All I would need is my little sweet rider

Just to pass the time away, to pass the time away

You sprinkled hot foot powder, mmm, around my door

All around my door

You sprinkled hot foot powder, all around your daddy's door

It keeps me with ramblin' mind rider

Every old place I go, every old place I go

I can tell the wind is risin', the leaves tremblin' on the tree

Tremblin' on the tree

I can tell the wind is risin', leaves tremblin' on the tree

All I need is my little sweet woman

And to keep my company, hey, hey, hey, hey, my company

Kill da motha'fucka'


Down With Love!!!

Futebol

Mas que c@r@lh0 tem o a m3rd4 do futebol e mais o raio que o parta que fica tudo tão melindrado?

Fosca-se! Não vai mudar o mundo, não traz valor acrescentado ao país, só mais corrupção, o valor cultural é abaixo de zero - vide a turba ululante que vai aos estádios ou que, quais figuras de cera do museu de fátima, seguem os jogos nos cafés com sportv's e afins...

Não percebo... se as pessoas utilizassem 1/10 da energia despendida na coisa a produzir e/ou  a qualificar-se devidamente ou até a cultivar-se condignamente, este país meteria inveja à Finlândia!

Vida de escritório, o capítulo agora assim de repente não sei.

Alguém hoje acordou com um SPM digno de registo: apresenta-se com o semblante carregado, olhar esgazeado e ameaçador revelador de um milhão de pensamentos incongruentes, a postura de ataque do corpo - rígida e pronta para qquer acção - a sensibilidade/susceptibilidade exarcebada e as mudanças de humor a cada minuto...
O pior é que o gajedo está meio sincronizado por aqui - esta coisa das hormonas e feromonas é poderosa - e assim sendo e como são todas muito atreitas ao fenómeno, isto aqui não tarda muito está um pesadelo.
O "achaque" de SPM afecta sobretudo as "mulheres modernas", verdadeiras amazonas em estado selvagem por estas alturas, fruto de uma de educação social  que as antepassadas imediatas "feministas" conseguiram com sucesso impôr, legitimando assim uma atitude no mínimo icómoda para a metade "à nora do mundo" - os Homens, claro - e criando crispações e actos de leza-majestade com os diversos elementos da outra metade, estando eles padecendo da mesma "malaise".
Resumindo: não há pachorra.
Senhoras, senhoritas e meninas de diversas categorias: comportem-se e aprendam a dominar-se!

Posto de escuta (candy for my sorrows)

Sweet Jane

Comboy Junkies

Anyone who’s ever had a heart

Wouldn’t turn around and break it

And anyone who’s ever played a part

Wouldn’t turn around and hate it

Sweet Jane, sweet Jane

Sweet, sweet Jane

You’re waiting for jimmy down in the alley

Waiting there for him to come back home

Waiting down on the corner

And thinking of ways to get back home

Sweet Jane, sweet Jane

Sweet, sweet Jane

Anyone who’s ever had a dream

Anyone who’s ever played a part

Anyone who’s ever been lonely

And anyone who’s ever split apart

Sweet Jane, sweet Jane

Sweet, sweet Jane

Heavenly widened roses

Seem to whisper to me when you smile

Heavenly widened roses

Seem to whisper to me when you smile

La la la la, la la la, etc...

Sweet Jane

A vida de trabalho.

Estão aqui no escritório 22ºC e o mulherio treme de frio! Estou em mangas de camisa, a fungar ranho em profusão e com os olhos secos e comichosos do ar quente que sopra do aparelho de ar condicionado...

Aproveitei uma ausência do gajedo e desliguei o dito (e também pus a temperatura um pouco mais abaixo, estava para os 25ºC - estas gajas passam-se). Vamos a ver quanto tempo se passa sem que elas notem o meu pobre e desajeitado estratagema.

O ambiente de trabalho "feminino" é algo que só imaginava ser possível de uma mente tortuosa e inundada de drogas de uma argumentista frígida de "sitcoms" estafadas e previsíveis.

São muito "amigas" umas das outras!!! Chamam-se "princesa" e "minha linda" sei lá que mais adjectivos "fofos" e "queridos"... o que é certo é que já ouvi uma e outra a cortar na casaca de terceiras - confesso que aproveitei a vantagem de não saberem que eu estava por perto e a ouvi-las. E digo-vos que a coisa era feia! Baixa, rasteira mesmo. Mas "pela frente" é tudo "olá princesa" e "minha fofa" e uma grande e idílica amizade. E quando em assomos de “amor fraternal” se põem a "falar bebé", ou lá o raio que parta que se chama “falale axim”, umas para as outras é insuportável.

Mas mau mesmo é quando o galinhame dos gabinetes próximos se junta aqui ao deste sala e a conversa é só “assuntos femininos” – de gravidezes a depilações passando por doenças diversas – sempre com grande detalhe verbal, quase gráfico. É uma tortura de quebrar qualquer gajo, para além de poder causar danos irreversíveis nos ouvidos tal é o volume do cacarejar incessante. Deviam pensar nisso para Guantanamo e demais prisões semelhantes - sempre podiam alegar que tratam tão bem aqueles prisioneiros que até os estão a reintegrar na sociedade pondo-os a trabalhar em serviços administrativos e em ambientes "equitativos". Muitos não durariam uma semana. Confessariam o que quer que fosse e por escrito, implorando misericórdia e uma bala na cabeça.

Ainda bem que hoje é sexta-feira!